Dicas

OUTUBRO ROSA 🌸

Olá queridos, estamos chegando ao final do mês de outubro, o mês da conscientização da prevenção ao câncer de mama. Ano passado convidei minha amiga Gisele, uma pessoa ao qual eu admiro muito, linda e “maravis” para comentar sobre sua experiência e a Gih nos contou tudinho AQUI. Este ano temos uma convidada especial, uma amiga em comum minha e da Gih. As duas vão nos contar um pouquinho desta história de vida e amizade que se fortaleceu ainda mais…

Gisele Zanin: Há um ano falei um pouco da minha luta contra o câncer de mama AQUI no blog. Conversamos sobre como foi bom poder contar com o amor, carinho e cuidado da família, dos meus fofos bichinhos de estimação; contei com o profissionalismo e competência da equipe médica e equipe das clínicas de saúde; e pude sentir a energia de amor e fé de todos os meus amigos.
Passei a enxergar a vida com outros olhos, afinal Deus nunca nos dá um fardo maior do que podemos carregar. Eu compreendi que a situação chegou à minha vida para um propósito.
Ao final do tratamento eu agradeci por toda força e fé. Deve ser estranho de ler, mas vendo o sofrimento das pessoas que me queriam bem, eu agradeci que foi comigo. Agradeci por não ter tido que lidar com a doença na família, ente querido ou amigo.

Neste mesmo período do ano passado uma grande amiga veio conversar comigo sobre esse assunto. Bem jovem também, ela estava fazendo alguns exames e queria indicações. Dentro de dias veio o resultado, com 28 anos, umas das minhas melhores amigas…

Elaine e Gisele antes de seus tratamentos (Foto: arquivo pessoal)

A notícia foi de partir o meu coração. Mas como a gente sempre disse uma para a outra, “a felicidade está em aprender a arte de dançar na chuva”! E hoje nós vamos conhecer um pouco da história de superação dela. Boa leitura e saúde!

Elaine Bayer: Após encontrar o nódulo, tive medo de que pudesse ser câncer, mas não imaginei que seria, por ser uma doença pouco comum em mulheres jovens. Afinal câncer não é aquela doença que só acontece com os outros? Mas no meu caso não foi bem assim…
Após a biópsia acreditava que iria marcar a cirurgia para a retirada de um simples nódulo, como os médicos supunham. Porém, tivemos uma surpresa. La estava eu, sentada na frente do médico, quando ele me informou que era um carcinoma.
Olhei para ele ainda sem entender. Foi aí que ele me disse a palavra que ninguém quer ouvir, “câncer”. Eu precisaria de um tratamento diferente do que havíamos imaginado. Além da cirurgia eu passaria pela tão temida quimioterapia…
Na minha frente ele ligou para alguns médicos, sai da clínica de mastologia e fui para minha primeira consulta com o oncologista, que foi quem me passou as orientações do tratamento quimioterápico.
Essa foi a fase mais difícil, a espera até a primeira quimioterapia. Eu sabia que viriam alguns efeitos colaterais, mas depois do início do tratamento percebi que era mais tranquilo do que eu imaginava. Tudo depende do modo em que encaramos as coisas e para onde focamos as nossas energias.

Foto de alguns dias antes da primeira quimioterapia. Fotógrafo: Rafael Merisse

 

Mesmo sendo considerada por muitos uma situação difícil de encarar, devemos sempre enxergar que existe um lado positivo, que o copo está meio cheio, e como a Gi já falou, perceber que “a felicidade está em aprender a arte de dançar na chuva”.
Vale contar que essa citação surgiu em nossas vidas inspirada na frase “viver não é esperar a tempestade passar, é aprender como dançar na chuva” (desconheço o autor). Passamos por outras situações complicadas em nossas vidas, e juntas superamos os momentos ruins.
Com a notícia da doença, mais uma vez essa frase fez todo sentido para mim.
O tratamento iniciou com quimioterapia, seguido da mastectomia e finalizou com a radioterapia, e durou aproximadamente um ano. O que eu fiz nesse período? Decidi não ficar esperando o tempo passar, decidi viver minha vida mais intensamente, realizando antigos planos, afinal para quê deixar para amanhã o que podemos fazer hoje? O tratamento é agressivo, mas não nos impede de viver nosso dia a dia.
Toda esta situação me fez despertar para alguns cuidados que já passavam em minha mente, mas que eu ainda não havia colocado em prática. Na clínica de oncologia tive acompanhamento da nutricionista, que me passou alguns alimentos que devem ser evitados e outros que auxiliariam na prevenção e tratamento do câncer. Gostaria de compartilhar algumas dessas dicas com vocês.

Para manter uma alimentação saudável e prevenir o câncer:
– Ingestão de água;
– Alimentos antioxidantes (abóbora, beterraba, ameixa vermelha, uva, framboesa, mirtilo, jabuticaba, abacate);
– Frutas cítricas (laranja, limão, acerola, abacaxi);
РOptar por a̤̼car demerara, mascavo, melado, canela;
– Ômega 3 (sementes, oleaginosas, peixes, azeite de oliva, chia, linhaça, castanha e amêndoas).

Alimentos favoráveis ao aparecimento do câncer:
РEmbutidos (salsicha, lingui̤a, mortadela, bacon, salame, carnes processadas);
– Temperos industrializados;
– Gordura trans (bolachas recheadas, batatas fritas, sorvetes, salgadinhos de pacotes, margarinas e fast food);
– Frituras;
– Excessos de farinha branca;
– Carnes gordas e mal passadas;
РA̤̼car refinado (Conforme estudos, o a̤̼car propicia inflama̵̤es que podem desencadear o desenvolvimento do c̢ncer).

A alimentação saudável aliada a pratica de atividade física auxiliam na prevenção de inúmeras doenças. Outra dica que eu gostaria de deixar, é que assistam ao documentário The C Word (disponível na Netflix). Ele fala de como as mudanças no estilo de vida podem ajudar a prevenir e vencer a doença.

Outra passagem que me marcou foi o cuidado que o médico teve em repassar a notícia para a minha família. A atitude que ele tomou, chamando toda a família para uma consulta, acabou passando tranquilidade, segurança e conforto.

Fotógrafo: Rafael Merisse

O apoio da família e amigos foi fundamental, pois há dias que não estamos tão bem; não só fisicamente, mas principalmente psicologicamente. O apoio, paciência e presença de todos é muito importante. Sair, se distrair, conversar, pensar em outras coisas ajudam a aliviar a pressão do tratamento.

Nesse mês de outubro rosa estou muito feliz, pois finalizei meu tratamento. Agora sigo com consultas periódicas e os exames de controle. Além do cuidado com a saúde, venho mantendo uma alimentação saudável, praticando atividade física e reagindo com tranquilidade aos problemas do dia a dia para evitar o estresse.

Gostaria de ressaltar também a importância da mamografia periódica para mulheres com mais de 40 anos, e do autoexame para todas, inclusive para as mulheres que assim como eu não se enquadram nas estatísticas. O diagnóstico precoce aumenta muito as chances de cura.

THE END…

Fotógrafo: Rafael Merisse

Jeane: Agradeço imensamente a estas duas lindezas Gih e Elaine por compartilhar aqui conosco um pouco de suas experiências de vida. Essas duas guerreiras que superaram esta fase da vida curtindo e aprendendo com cada momento e nos  mostrando que foi apenas uma fase da vida assim como muitas outras.
Nos deixando o laço rosa, um laço que dura para a vida toda o de conscientização que deve acontecer durante o ano todo mas que lembramos especialmente no mês de outubro. Não esqueça de observar-se, faça o auto-exame 🙂 

 

Todo conteúdo aqui é de propriedade intelectual. É expressamente proibido a utilização em campanhas publicitárias, institucionais ou de qualquer espécie, sem concedimento legal da proprietária.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

ACOMPANHE

Categorias