Dicas

O que é ansiedade?

Por: Marisa Richartz Felicio – Psicóloga (CRP 08/15002)

Quem nunca se sentiu ansioso ao sentir uma dor estranha e ir ao médico ou antes de fazer uma prova? Acho difícil que você não se identifique com este questionamento porque a ansiedade é um sentimento experimentado por todos em diferentes intensidades. Do ponto de vista da evolução das espécies, sentir-se ansioso teve um papel importante para sobrevivência. Ao sentir-se desta forma uma pessoa fica mais preparada para interagir com perigos em potencial presentes no ambiente. Por exemplo, se você presenciar um acidente de carro, poderá ficar ansioso e isso provavelmente fará você agir rapidamente para chamar o socorro. O problema da ansiedade ocorre, apenas, quando ela é excessiva e, nesses casos, ela pode se tornar uma dificuldade que atrapalha o cotidiano da pessoa. Para entender a ansiedade precisamos entender dois aspectos teóricos sobre ela:

1) A ansiedade é sentida no nosso corpo físico. Quando dizemos que estamos ansiosos, estamos experimentando algumas alterações fisiológicas, como batimento cardíaco acelerado, falta de ar e alterações gastrointestinais (dor de barriga, diarreia, gastrite) por exemplo.

2) As reações físicas da ansiedade não ocorrem aleatoriamente e tem relação com situações que estamos vivendo. A ansiedade se relaciona a ocorrência de situações aversivas e quando algo no ambiente nos sinaliza a possibilidade dessas situações ocorrerem, ficamos ansiosos. Assim, por exemplo, se temos uma data para pagar a conta do cartão de credito e não temos dinheiro, podemos sentir ansiedade a medida que os dias vão passando porque não pagar a conta faz com que os juros aumentem a cada dia. Se comprarmos algo considerado inútil pelo nosso parceiro, podemos sentir ansiedade ao chegar em casa com as sacolas, umas vez que a chance de ouvir críticas aumentam.
Tudo o que eu expliquei até agora pode estar acontecendo com a personagem da tirinha. Imagine que ela está vivendo uma dificuldade financeira e, como no exemplo anterior, não paga a fatura inteira e só vê sua dívida aumentar. Durante o dia ela pode ficar pensando no que fazer para sair do problema e durante a noite ela permanece focada nas consequências que a falta de dinheiro traz!

tirinha

Será que ela tem alguma saída para sentir se bem novamente? A boa notícia é que ela pode sair dessa! Lógico que isso não vai acontecer se ela não se comportar para mudar as coisas que acontecem na vida dela! A primeira coisa que ela tem que fazer é saber o que tem feito ela ficar ansiosa. Nesse caso, ela precisa saber o tamanho da dívida e como chegou até lá (o que fez a dívida acontecer?). E depois, ela precisa aprender a se aliviar de duas formas: resolver o problema, ou seja, planejar uma estratégia em longo prazo para pagar a dívida e também, fazer coisas prazerosas que podem ajudá-la a diminuir a ansiedade em curto prazo. A ideia desta última estratégia é fazer coisas que produzam sentimentos diferentes de ansiedade. Ela pode, por exemplo, fazer esportes, encontrar com amigos, ver filmes que gosta (sem gastar tanto, é claro). Focar só no problema não a ajudará no controle da ansiedade, muito pelo contrário, fará com que ela fique mais ansiosa. Lógico que colocar em prática pode não ser fácil, mas com certeza vale a pena a tentativa! Se fosse você, será que conseguiria controlar a ansiedade?

kitutes-sem-lactose-02

Psicológa – Marisa Richartz Felicio

Atendimento personalisado no consultório em Curitiba/PR. Orientações psicológicas online por meio do Skype. Saiba mais: contato@psicologamarisa.com.br
www.psicologamarisa.com.br
(CRP 08/15002)
Especialista em Terapia Comportamental
Mestre em Análise do Comportamento
(41) 9975-0117
(41) 3205-4964

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

ACOMPANHE

Categorias